18.3.07

BENFICA E PORTO GANHAM TERRENO

O Benfica ganhou hoje vantagem sobre o Óquei de Barcelos, ao bater os minhotos por 3-2 no primeiro jogo das meias-finais disputado na Luz.
A equipa de Barcelos marcou praticamente no seu primeiro lance de perigo, numa fase do jogo em que o Benfica pressionava fortemente. Mas ainda na primeira parte os encarnados deram a volta à situação com golos de Valter Neves e Ricardo Barreiros.
Na segunda parte novamente Barreiros (que aparece em muito boa forma nestes play-offs) dilatou a vantagem benfiquista, e a partir daí os lisboetas apostaram num jogo de contenção e circulação de bola que foi deixando o tempo correr perante a passividade dos barcelenses.
Foi já na ponta final da partida que o Óquei reduziu a diferença, criando grande expectativa para os últimos minutos. Apesar dos momentos de forte emotividade com que terminou o jogo, o resultado não se alterou.
Pelo que fez ao longo do jogo, e também pelo que o seu adversário – muito ressentido da ausência de Caio – não fez, a vitória do Benfica afigura-se um resultado justíssimo.
No próximo sábado em Barcelos, o Benfica tem hipótese de garantir desde logo, com uma vitória, a presença na final.

No outro jogo o F.C.Porto venceu a Oliveirense em Fanzeres, por 6-5 após prolongamento.
Entretanto amanhã o Candelária disputa em Villanova a segunda mão da final da Taça CERS (1-1 nos Açores), com transmissão televisiva a partir das 16.00 na “Dois”

6 comentários:

  1. Desculpa lá mas esqueceste-te de referir umas coisas.
    -O primeiro golo do Benfica foi precedido de falta no centro do ringue sobre o Tiago Rafael.
    -O Óquei marcou um golo que toda a gente viu (confirmado pelo jornal A BOLA de hoje, até!!) que não foi validado e na sequência o Benfica aproveitou para fazer o 3-1.

    Falar-se em justiça com casos destes é demais... O OCB não fez um grande jogo mas estava a jogar fora e não venceu porque não deixaram.

    Tudo a bem da nação. Sobre a RTP nem vale a pena falar...

    Cumprimentos e esperemos que haja um terceiro jogo para tirar dúvidas da matéria dada :-(

    ResponderEliminar
  2. Quanto ao golo não considerado, tudo bem.
    Mas uma faltas a meio do ringue por marcar existem em todos os jogos. Por acaso a jogada que se seguiu deu golo.
    Com franqueza nem me recordo muito bem dessa falta...

    Não quero entrar por aí.
    Quando falei em vitória justa falava apenas sobre as equipas.
    Hás de aceitar que o Óquei pouco fez para justificar outro resultado.

    ResponderEliminar
  3. O Óquei não fez muito nem pouco para vencer. Fez o suficiente. Será que o Benfica fez o suficiente para vencer? A arbitragem foi decisiva no resultado. Mas Benfica não tem culpa. Aproveitou.

    Espero que haja um terceiro jogo, e aí, se tivermos que perder, que percamos bem, sem espinhas. O que custa é sentir que o nosso emblema tem menos peso. Só isso.

    Continuação de boas postagens.

    ResponderEliminar
  4. POIS É IF É ENGRAÇADO QUANDO SÓ OLHAMOS PARA O NOSSO UMBIGO E VEMOS SÓ O QUE QUEREMOS.
    QUEM TE ESCUTA A FALAR ATÉ PARECE QUE O BENFICA FEZ UM JOGO FABULOSO.
    SIMPLESMENTE FOI EMPURRADO PARA A FRENTE.
    COM OS CRÉDITOS QUE A DUPLA DE ARBITRAGEM DEU AO BENFICA SE OS DESSE AO OCB NÃO DUVIDES QUE O OCB NÃO PERDIA.
    MAS TUDO BEM COMO DIRIA UMA PESSOA CONHECIDA: é tudo para be da nação!!!!

    ResponderEliminar
  5. depois de saber a dupla de arbitragem, até me deu vontade de rir...
    mas tudo bem é a bem da nação!!!
    já agora e paulo romão e joaquim carpelho!
    para perceberem porque é que estou a dizer isto.(basta ver o que se passou na madeira a bem pouco tempo!)
    enfim como é para bem da nação tudo bem...

    ResponderEliminar
  6. Eu nunca disse que o Benfica tinha feito um jogo fabuloso.
    O jogo foi fraco de parte a parte.
    Mas sinceramente acho que se está a fazer uma tempestade num copo de água com a arbitragem deste jogo.
    Veremos o que se passa em Barcelos, ou na final com o Porto onde espero o Benfica possa estar presente.
    Veremos então onde está o "Bem da Nação"

    ResponderEliminar