12.11.06

EQUILÍBRIO

Não foi um grande espectáculo, nenhuma das equipas venceu, mas bem se pode dizer que o Hóquei em Patins está de parabéns pelo Benfica-F.C.Porto de ontem.
Na verdade o regresso da modalidade aos ecrãs de televisão representa uma enorme vitória para a modalidade, e uma grande alegria para todos os que dela tanto gostam.
Terá sido a empresa que organizou o Mundial de clubes a conseguir o acordo com a RTP, e só esperamos é que não se trate de um caso isolado, mas sim do regresso a uma era em que o Hóquei era espectáculo televisivo semanal.
Como já disse, foi pena que o jogo não tenha feito muito por merecer a ocasião. O F.C.Porto desfalcado de Pedro Gil foi sempre uma equipa demasiado cautelosa, e o Benfica mostrou que ainda tem muito trabalho pela frente para chegar aos play-offs em condições de bater o pé aos dragões.
Os encarnados entraram muito bem, e em poucos minutos Valter Neves atirou à barra da baliza de Edo Bosch, para pouco depois Tó Silva bater o guardião espanhol naquele que seria o único golo do Benfica no jogo. Suspeitou-se na altura que a equipa da casa pudesse partir para um resultado semelhante ao da primeira fase da temporada passada, quando venceu claramente por 6-2 o seu grande rival.
Com o decorrer do tempo o Benfica foi adormecendo à sombra da vantagem, enquanto que o F.C.Porto foi esperando friamente a sua oportunidade, que acabaria por surgir já na segunda parte, num lance em que o jovem internacional Pedro Moreira concretizou o tento do empate.
A partir daí foi o Benfica que mais procurou a vitória, mas deparou sempre com uma barreira muito bem urdida por Franklim Pais, que foi inviabilizando o golo, mau grado as inúmeras tentativas, sobretudo a partir do stick do infeliz Ricardo Barreiros.
A vinte segundos do fim o Benfica dispôs de uma oportunidade de ouro para resolver a contenda a seu favor, quando os árbitros assinalaram um livre directo, que todavia Tó Silva, melhor marcador do campeonato, não conseguiu concretizar. No lance seguinte ficou no ar a polémica de a partida terminar após uma falta duríssima sobre o mesmo Tó Silva, que eventualmente valeria outro livre directo. Muita confusão à entrada dos balneários, o que já vai sendo habitual nestes duelos.
No global poder-se-á dizer que o resultado se ajusta, pois entre a irreverência do Benfica e a frieza do F.C.Porto o equilíbrio acabou por se fazer valer.
O Benfica segue assim em terceiro lugar a cinco pontos dos nortenhos.
Marcadores do Benfica até agora: Tó Silva 12 golos, Barreiros 7, Mariano 5, Valter 3, Carlitos 2 e Vítro Hugo 1

6 comentários:

  1. Atento14.11.06

    Tira a camisola nos comentários "Livres directos"...é de rir.

    ResponderEliminar
  2. Pareceu-me que o segundo lance só não foi assinalado por os árbitros terem considerado que a buzina soara antes da falta.
    Foi a minha interpretação.

    Mas, ao contrário do futebol em que vemos dezenas de repetições até à terça feira seguinte, no hóquei não temos muitas hipóteses de analisar os lances de forma tão cirúrgica.

    De qualquer modo o empate é justo.

    ResponderEliminar
  3. Excelente Blog, fantástico mesmo, quando estiver em casa vou certamente deliciar-me a ler alguns dos posts a que já dei uma vista de olhos.

    Parabéns e continua o excelente trabalho!

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelas palavras.

    Lmentavelmente não tenho tido o tempo suficiente para o tornar melhor, nomeadamente puxando mais pelas recordações do passado, ou por artigos de fundo sobre a modalidade.
    Mas dentro em pouco, voltarei certamente a poder fazê-lo.

    O facto de parecer que a questão do hóquei na televisão está a ficar resolvida, também irá proporcionar comentários a outros jogos que não meramente aqueles que vejo na Luz.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo16.11.06

    Onde joga o panchito velasquez?

    ResponderEliminar
  6. Julgo que ou joga na Argentina ou abandonou a carreira.
    Na Europa não joga.

    Desde que saiu do Benfica a sua carreira nunca mais foi a mesma. Ainda jogou em Espanha, mas sem grande sucesso.

    ResponderEliminar